Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Inverno

O saborear dos dias... com maior deleite e meticuloso vagar.

Inverno

Adenda ao Anúncio da Vodafone

21.12.18 | Maria Rocha Soares

 

 

 

 

Quanto mais se vê, mais parvo parece! Oportunidades temos, para perceber as incongruências. Senão, veja-se este discurso entre pai e filha.

 

- Não fales assim, comigo!

- Nem me perguntaste se eu gostava dela...

- Mas ela não é tua mãe. É minha mulher!

 

Muito bem. Não citando coisas de que já falei, noutro post. Nem as novas "fífias" que vou descobrindo e, reportando-me somente a esta cena mais adiante, observe-se a atitude do progenitor... quando a gentil madrasta chama a "miúda" para se irem embora.

 

- Teresa, vamos!

- Espera! Só mais uma. 

- Vá lá, Teresa. Temos de ir.

- Tu não mandas em mim... não és minha mãe!

 

E... o pai "extremoso" dirige-se à pequena, qual tigre esfaimado, disparando:

- Teresa! - Com ar de quem vai comer este mundo e outro... quando a miúda lhe podia responder imediatamente (e claro que isto é um anúncio) mas a fazê-los, façam-nos bem feitos  

- Estás tão zangado porquê?! Não foste tu que disseste que ela não é minha mãe... 

 

Pois, é meus amigos. Continuo na minha. É pobre! É estúpido. A componente sexo está a mais (deixem isso para o resto do ano em que já não há, praticamente, nada que não o traga à "baila").

As expressões do pai são de alguém que não gosta da miúda. E agora, com família nova... nem pachorra tem para ela.

E não! As partes resumidas com que nos têm brindado, ultimamente, para emendarem o que começou mal feito... também não vão, lá! É muita falta de gosto, como de imaginação, até na música.