Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Inverno

O saborear dos dias... com maior deleite e meticuloso vagar.

Inverno

Dissecando o anúncio da Vodafone...

29.11.18 | Maria Rocha Soares

 

 

 

 

Não que importe muito a alguém o que eu penso, ou desgosto, porém... não custa nada dizer o que acho pouco conseguido, no anúncio, que me leva a não o achar bom.

Pelo menos perto (em comparação) de/com outros a que já se assistiu, sendo que a "boneca" da MEO que nos outros anúncios é uma nulidade, neste de Natal, melhora um bocadinho.

Então: Compreendo que a intenção de apresentar uma família em que há filhos de pais separados, e tentar passar a ideia de que amor maternal não é só o da mãe biológica, muito boa!

Porém:

- O anúncio está confuso e, para além disso... desculpem-me! A agressividade (expressão facial) e atitude verbal de um pai, para uma filha... NUNCA deve ser aquela.

- Para mais, quando está casado com outra mulher e a mãe, foi "substituída" (ao que parece, sem sequer uma conversa entre pai e filha) por uma madrasta.

- Um pai, que age como, o do anúncio, dá a ideia de fúria/ódio/raiva sempre que repreende a filha. Desfazendo-se em salamaleques para a esposa actual. Ora, isso... só iria fazer com que qualquer adolescente, ficasse ainda mais renitente, em aceitá-la. 

Leve-se em atenção e observe-se bem, durante todo o anúncio, a expressão dura, de desapontamento e censura, sempre que o pai se dirige à miúda. Ora... sempre ouvi dizer que "não é com vinagre que se apanham moscas" não será, senhores da Vodafone?

- É Natal! Pedia-se um bocadinho mais de brandura naquelas chamadas de atenção à moça, por parte do pai, para que a gaiata não destratasse a mulher actual, de modo a que ela a aceite.

- No que diz respeito à pessoa que interpreta a madrasta, está excelente! Tanto em expressão facial como na linguagem corporal.

- O pai... não! Está mal conseguido. Detesto ver a cara de rancor, do homem, sempre que se dirige à miúda. Não! Vejam, lá bem as coisas mas aquele pai... não interessa, como se costuma dizer e porque é Natal... nem ao Menino Jesus.  

- Tem ar de idiota. Dá a impressão de se preocupar pouco com a filha. De se estar (mesmo) pura e simplesmente a borrifar para ela e só, se lhe dirigir, quando é para a repreender asperamente dando ao filho, do casal, mais mimo.

A (mãe) Madrasta, não! Parabéns, à pessoa que interpreta uma "madrasta" excelente. Os meus pêsames a um pai... estúpido e prepotente!

Resumindo: NÃO GOSTO!

 

 

4 comentários

Comentar post