Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Inverno

O saborear dos dias... com maior deleite e meticuloso vagar.

Inverno

Isto vou gostar de ver...

04.11.18 | Maria Rocha Soares

 

 

 

É um dos meus filmes de referência. Gostei por tudo e até o que não está lá... por isso alguém (Ridley Scott) deve ter pensado que valia a pena acrescentar-lho. Desde a excelente interpretação de Russel Crowe (outro dos meus actores favoritos e no top cimeiro dos primeiros cinco) e actores coadjuvantes, à banda sonora magnífica - Hans Zimmer, Lisa Gerrard, Klaus Badelt -, estou certa de que não desiludirá. 

Há dezoito anos anos (perdão pelo lapso, quando escrevi dez anos, a pensar no ano 2000*) foi um filme vencedor: Ganhou os óscares de melhor filme e de melhor actor para Russell Crowe. Não quer dizer que se repita. A personagem a que Russel dava "vida", morreu no fim. Joaquin Phoenix teve, também, um desempenho notável. 

Mas, como dizia... dez anos depois, não será, por esse final trágico, possível revermos Maximus de volta ao Circo de Roma. Nem à vida dos que lhe sobreviveram. A menos que o filme vá buscar excertos, reminiscências do passado, para encadeamento da história que supostamente vai centrar-se no jovem que ele salvou.

 

Now we are free... 

Para mim será sempre uma canção eterna.

 

 

 

 

Assim: Russel Crowe está posto de parte. Mas Phoenix (á partida) e os outros, não. É, portanto, com grande expectativa que aguardo a sequela.  Só espero que nos marque por dez anos, ou mais,  tal como o seu predecessor. 

Este, é um dos que considero: Filmes de uma vida.

 

*Data de lançamento: 19 de maio de 2000 (Portugal)